Design com ressignificação afetiva

O design afetivo revela através do projeto de arquitetura a conexão entre pessoas e histórias, transmitindo através do ambiente a identidade de quem vive ali.

Em tempos de isolamento social, ressignificar a nós e a tudo que nos cerca é uma forma de escrever novas histórias. E por que não começar pela nossa casa?

Sabia que é possível dar uma cara nova e contemporânea, além de uma nova funcionalidade àquele móvel antigo herdado dos nossos pais ou avós, mas que estão esquecidos em algum cantinho da casa?

A possibilidade de reaproveitar um mobiliário existente ressignificando a sua utilização é uma forma de sempre ter uma peça com personalidade, charme e função sem que o simbolismo afetivo e histórico seja deixado de lado.

A cadeira de palhinha que lembra a casa dos nossos avós, a cômoda trabalhada de madeira, a poltrona de balanço estofada que fez parte da nossa infância e muitos outros objetos de decoração que talvez pareçam sem graça depois de tanto tempo com a mesma aparência, podem se tornar bem atuais e fazer a diferença na decoração, além de contribuir para o consumo consciente.

Veja alguns exemplos que queremos ressaltar para vocês:

Quem escreveu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

rua estados unidos, 367 | T + 55 11 3884 3006 | C + 55 11 97375 7525 | contato@isabelafraia.com.br |